Sicília – O guia

Meu amor pela Itália não é surpresa pra ninguém que me conhece. Mas uma região que conquistou meu coração pela riqueza cultural, natural e histórica foi a Sicília. E aí, quando você adiciona a culinária…simplesmente explosão de amor!

A primeira vez que eu pisei na ilha foi em uma viagem do mestrado com a universidade. De Trapani a Siracusa pelo sul da ilha visitando templos gregos. UAU.

Quem diria que anos depois eu me tornaria justamente especialista nessa área pra uma companhia de turismo. Em 2015 foram 2 viagens pra esse lugar incrível e dessa vez foi de Trapani a Siracusa pelo norte da ilha.

Vamos por partes.

A Sicília, pra mim, pode ser dividade em leste e oeste. São duas partes da mesma ilha totalmente diferentes, uma com a predominante arquitetura barroca e mais populosa, a outra mais wild e com a maior conecentração de arquitetura grega.

A Sicília é a maior ilha do mediterrâneo e riquíssima em história, mas o objetivo aqui são as dicas de onde ir, o que ver e principalmente o que comer.

OESTE

Vamos separar o oeste do leste começando em Cefalù e terminando em Pozzallo.

Cefalù: Cefalù é uma daquelas cidadezinhas italianas de cinema. Muito charmosa com as suas ruelas no centro histórico que são fechadas para carro. O mar aqui também é incrível, mas caminhe ate o fim do beira-mar para achar os melhores lidos (o nosso famoso quiosque) da cidade, o Lido Eolo e o Colete beach. Em Cefalù você também encontra muitas cerâmicas vindas, principalmente, de San Stefano di Camastra, um vilaregjo famoso pela sua produção.

Palermo: A capital da Sicília, Palermo tem aproximadamente 1 milhão de habitantes e uma história fascinante e multicultural, já que pela sua localização estrategica, a cidade foi dominada pelos Fenícios, Cartágenos, Gregos, Romanos, Arabes Saracenos, Normandos, Suábios, Franceses e Espanhóis, resultando em uma diversidade culinária e arquitetônica inacreditável. Passear por Palermo é uma aventura, dirigir ali uma missão. Ruelas escondidas como num labirinto, passando por igrejas, praças e obras de arte à céu aberto, Palermo definitivamente é uma cidade must to see.

San Vito lo Capo: a mais ou menos 35 KM de Trapani você encontra uma das praias de areia mais bonitas do Oeste da Sicília nesse vilarejo chamado San Vito lo Capo, localizado em uma vale onde as principais atividades são o turismo e a agricultura (azeitonas sendo o principal produto). A cidade é muito visita durante os meses de Julho e Agosto mas as aáguas cristalinas valem um mergulho. Em Outubro é realizado o festival do Cous Cous, uma competição entre chefes de vários países pelo melhor cous cous retornando às heranças árabes da Sicília.

Erice: Erice é uma cidadezinha medieval a 751 metro acima do nível do mar com vistas de tirar o fôlego e muita história. Uma vez em Erice, não deixe de visitar os castelos di Pepoli (árabe) e de Vênus (normando), suas principais atrações. Erice é também casa para o congresso anual internacional de Astronomia e em um dia claro é possível ver as ilhas Egadi do alto da cidade. Para chegar a Erice você pode usar o bondinho de Trapani.

Trapani: Trapani, que já foi um importante centro portuário devido a produção de atum e sal da região, é hoje uma charmosa cidade costeira com um centro histórico todo restaurado e com uma localizão perfeita pra quem quer visitar as ilhas Egadi. Mais uma daquelas cidades sicilianas que sofreram diversas invasões ao longo da história, Trapani é uma importante cidade do oeste da Sicilia com seu próprio aeroporto internacional. Aqui, visite as salinas de Stagnone, com moinhos, muita natureza e animais exóticos.

Marsala: se você precisa de pelo menos um motivo pra visitar Marsala, o seu famoso vinho é com certeza um bom motivo. Marsala, do árabe ‘Marsa Allah’ significa ‘Porto de Deus’ ,demonstrando a importância da cidade desde o passado. Além dos tours em vinícolas, um tour pela cidade é definitivamente recomendável.

Monreale: localizada perto de Palermo, Monreale abriga uma das mais, se não a mais, interessante catedral do mundo. A catedral foi tomada pelos árabes em 831 d.C. e transformada em uma mesquita. 240 anos depois foi a vez dos Normândos tomarem a região e consequentemente a catedral que foi, então, reformada por ordem do Rei por artesãos bizantinos e árabes. O resultado é uma curiosa fusão de estilos arquitetônicos, tradições artísticas e simbolismos religiosos.

Sciacca: spa, peixes e carnaval. Essa é Sciacca, uma vila de pescadores separada da África por uma pequena faixa de mar e que oferece um show todas as manhãs pelos pescadores. Uma charmosa vila que definitivamente merece uma parada para um almoço com frutos do mar frescos.

Selinunte: Selinunte era uma antiga cidade grega na costa sul-ocidental da Sicília que agora se localiza na cidade de Castelvetrano. O sítio arqueológico, que você deve definitivamente visitar, contém cinco templos centradas em uma acrópole. Dos cinco templos, apenas o Templo de Hera, também conhecido como “Templo E”, foi reerguida. No seu auge, antes de 409 aC a cidade cresceu em  30.000 pessoas excluindo escravos.

Segesta: outra cidade antiga que abriga um templo grego na cidade atual de Calatafimi-Segesta. Além do templo, as vistas são de tirar o folêgo. Mais um pouquinho de Grécia na Sicília!

Agrigento: a cidade de Agrigento não é a mais bonita da ilha e talvez nem seja a mais turística. Mas o Vale dos Templos, que se localiza fora da cidade, é com certeza o maior tesouro histórico da Sicília. São no total 7 templos ao alto de uma montanha com vistas do mar, cidade e campos. A area é Patrimônio Mundial da Unesco e é um dos lugares mais espetaculares que eu visitei na Sicília.

LESTE

Ilhas Eolias: as ilhas Eolias são 7, duas das quais são vulcões ativos!

Filicudi – pouco explorada por turistas, a ilha possui 3 pequenos vilarejos com alguns restaurants e mercados e aluguel de barcos. A Ilha tem costa predominantemente rochosa proporcionando aguas cristalinas para mergulho.

Alicudi – a mais remota e selvagem das ilhas. Existe apena um hotel e um restaurant na ilha e algumas lojas. Paraíso total!

Salina- muito verde e famosa pela produção de alcaparras e vinho Malvasia (vinho doce de sobremesa delicioso), possui bons restaurantes, cafés e lojas.

Vulcano – talvez uma das mais interessantes ilhas, Vulcano deu o nome a todos os vulcões (vulcano em italiano). Em Vulcano, o vulcão é ainda ativo e a ilha é famosa por seus banhos de lama (fanghi) e a sua cratera principal que ainda solta bastante fumaça. Dependendo do vento você poderá sentir um cheiro sulfuroso não muito agradável. Em Vulcano não deixe de ir até a cratera principal e lembre-se que em Julho e Agosto a Ilha é muito visitada.

Lipari- maior e mais populosa das ilhas, Lipari é também a mais importante de todas desde os tempos neolíticos. Em Lipari aproveite uma caminhada pelo charmoso centro histórico da cidade principal e as águas de cor turquesa. Faça também algumas caminhadas nas partes altas admirando a paisagem local.

Stromboli – em permanente eurpcao, Stromboli e’ a ilha mais drmataica, talvez a mais espetacular das 7. Nao deixe de fazer um passeio de barco parando na ilha para o por do sol e para admirar as lavas a noite.

Panarea – a menor e mais fashion das 7 ilhas. Panarea deve sua fama muito ao Hotel Raya que no verao atrai o jet-set internacional. Em Agosto, não deixe de tomar um aperitivo no seu terraço e quem sabe aproveitar a noite na discoteca do hotel. No resto do ano a ilha é muito tranquila com trilhas e lugares maravilhosos para nadar.

Taormina: Nao é a toa que Taormina é o destino mais popular em toda a Sicília por algumas centanas de anos. Essa cidade medieval localizada no alto de uma montanha é incrivelmente bela e foi parte dos Grand Tour do sec XIX. Por toda a cidade vistas de tirar o folego! Além da herança medieval, Taormina foi conquistada pelos Gregos, Romanos, Bizantinos, Árabes, Normândos, Suábios, Franceses e Espanhóis. Naão deixe de vistiar o antigo teatro greco-romano e de tomar um aperitivo no Grand Hotel Timeo enquanto admira o sol se pondo ao mar.

Faraglioni dei Ciclopi- Aci trezza: você provavelmente já viu fotos dos faraglioni e se perguntou onde se encontram essa maravilha da natureza. Pois é, em Acitrezza! Aqui são considerado um arquipélago e são chamados de Faraglioni dei ciclopi (ciclopes) e eles são 8 e resa a lenda foram lançados por Polifemo a Ulisses durante a sua fuga. São localizados bem perto da costa em Aci Trezza e definitivamente vale a pena a visita.

Catania: Catania é uma daquelas cidades que surpreende. Sendo uma das maiores e mais importantes cidades da Sicília, admito que eu naão esperava muito até que eu a visitei. Catania tem praças lindíssimas e ruelas mágicas, uma enorme seleção de bons restaurantes. A minha dica é simplesmente lse perda pelas ruelas do centro histórico!

Etna: o vulcão Etna é o maior vulcão ativo da Europa. Ao invés de ter forma cônica como a maioria dos vulcões porém, o Etna é composto por diversas crateras. Existem diversas companhias fazendo tours com arqueólogos, eu particularmente recomendo duas – Volcanotrek e Etna finder –  mas você pode explorar o vulcão sozinho. Dirija até o Refugio Sapienza onde você pode estacionar o seu carro e dali você pode explorar a cratera mais próxima e ao redor, ou pegar o teleférico para ir ao topo do vulcão onde um ônibus público faz um excursão. O teleférico + o ônibus custam em torno de €50 por pessoa.

Siracusa: uma das cidades mais bonitas da Sicília. Aqui você tem que visitor o parque arqueólogico Neapolis e o anfiteatro grego (onde anualmente em meados de Maio você pode assistir a uma tragédia grega ao vivo – eu assiste Medea anos atras e foi maravilhoso). Você também precisa visitar a ilha de Ortigia – o centro antigo da cidade. Não deixe de visitar o mercado de Ortigia (todos os dias de manhã) e de almocar ou fazer um aperitivo na delicatessen I Fratelli Burgio, aqui você também encontra o melhor dos produtos sicilianos (me traz por favor um creme de pistache?).

Vendicari: uma reserve natural totalmente “desconhecida”, ou pouco explorada, onde se você é sortudo o bastante você vai conseguir ver Flamingos indo/vindo da África durante o período de migração. Ali, visite tambem a Tonnara di Vendicari, o antigo matadouro de atum, mas que hoje forma ruínas em uma praia com águas transparentes. Vendicari é com certeza um lugar para relaxar a curtir a natureza. Note que não existem bares ou quisoques na reserva então traga seu picnic e aproveite esse lugar maravilhoso! No caminho existem alguns B&B’s e alguns agriturismos servindo comida.

Fontane Bianche: a favorita praia de area dos locais com boa estrutura e bares.

Modica: cidade considerara patrimonio da UNESCO famosa, principalmente, pelo seu chocolate- eles ainda o produzem como faziam os astecas. Com certeza é totalmente diferente de tudo que você imagivana! Também muito peculiar é a arquitetura barroca predominante na cidade que se espalhe em um vale. A cidade também é conehcida como a cidadade das 100 igrejas. Visita obrigatória ao Duomo di San Giorgio; dali você tem um panorama da cidade. Em Modica você deve tentar um dos cafes da rua Corso Umberto I e para o chocolate prove a Antica Dolceria Bonajuto.

Noto: famosa pelos suas sacadas barrocas da via Nicolaci, Noto é uma das cidades mais charmosas da Sicília na minha opinião. Em Noto não deixe de provar um dos melhores Arancini e cannolis que eu já comi.  Para os  arancini va ao bar-rosticceria Da Piero, na Piazza XVI Maggio. Para os cannoli tente Mandolfiore, via Dulcezio 2.

A cidade é deliciosa a noite e para um dos melhores e mais frescos atuns (com crosta de pistache i) vá ao restaurante Dammuso.

Scicli: mais uma cidade barroca que vale a pena a visita. A cidade é mais conhecida por ter sido palco das filmagens do Inspetor Moltabano.

Ragusa: Ragusa é divididade em duas partes, Ragusa Ibla e Ragusa Superiore. Aqui você pode admirar mais uma vez a arquitetura barroca e aproveitar uma caminhada nos jardins Iblea. Dali você pode também visitar o Castello di Donnafugata, a mais ou menos 15 kilometros de Ragusa. Uma casa nobre do século 14 com um jardim super elaborado. Donnafugata em português poderia ser traduzido por ‘a mulher que foge’, resultado de uma lenda local da fuga da rainha Biaca de Navarra, viúva do rei Martino I e regente do reino da Sicília que teria sido aprisionada no castelo pelo conde Bernardo Cabrera que queria casar-se com ela e ter o título de rei. O ‘castelo’ foi na verdade construdo depois dessa época.

Cidades que não visitei mas que estão na minha lista:

Caltagirone: Caltagironeé famosa pela produção de cerâmicas. Tirar uma foto na icônica Scalinata di Santa Maria del Monte (uma escadaria de 142 degraus que conecta a cidade baixa à cidade alta, onde cada degrau é decorado com azulejos de cerâmica local) é um must. Nas duas últimas semanas de Maio a escadaria abriga o festival ‘Infiorita’ que como o nome já diz, a escadaria é coberta com flores. Alémdisso, cerâmicas decoram quase todos os prédios da cidade.

Piazza Armerina: um dos lugares mais visitados da Sicilia, em Piazza Armerina o que sao famosos sao os mosaicos romanos. Ali a visita a ‘Villa Romana del Casale’, patrimonio da Unesco, e’ obrigatoria, casa para alguns dos mosaicos romanos mais bem preservados e que se espalham por mais ou menos 3500m2. Em Agosto, dias 12, 13 e 14, acontecem o ‘Palio dei Normanni’, uma competicao de cavaleiros que relembra o heroismo dos invasores normandos em 1060.

Marzamemi:  talvez a mais charmosa vila de pescadores da Sicilia, Marzamemi foi um grande produtor de Atum e ainda e’ um dos melhores lugares para se consumir peixe fresco com a pesca artesanal sendo uma das principais atividades do lugarejo. Tambem umo timo lugar pra comprar produtos a base de peixe como a famosa bottarga! Um lugar para visitar todo o ano, mas especialmente no verao quando um cinema aberto com filmes projetados nas paredes da vila acontece. Bares ao aberto tambem sao o forte!

Comidas

A culinaria siciliana e’ riquissima e como em toda a Italia cada regiao, ou ate mesmo cidade tem a sua comida tipica, por exemplo na regiao de Palermo a influencia arabe e’ tao grande que o cous cous e’ um prato local. Em geral, nao deixe de comer atum e peixe espada (sim, se voce ja em algum outro lugar do mundo e nao gostou, amigo prove na Sicilia e tenho absoluta certeza que voce vai se apaixonar). Pasta alla Norma e’ definitivamente a minha pasta favorita no mundo! Feita com berinjela frita, molho vermelho e ricotta salata e’ simplesmente yummi! Qualquer pasta com pistache tambem e’ um must! Crema di pistacchio vai deixar a nutella de escanteio. Prove cannolo (doce com ricotta) e pasta di mandrola (um doce feito de amendoa) simplesmente porque sao deliciosos e super tradicionais. Ahhhh e nao esqueca a granita!

A Sicilia e’ muito mais que isso, com seu interior e seus campos e uma infinita cultura e tradicao. Um lugar definitivamente apaixonante e se voce tiver mais dicas ou qualquer duvidas compartilhe! Qualquer dicas de restaurantes, vinicolas, passeios e’ so’ comentar que ficaria mais que feliz em ajudar!

catarinastigliano

Hi, I'm Catarina and I am the main contributor here on Yours Sincerely.com.br

No Comments Yet

Leave a Reply

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur a dipiscing elit. Vivamus leo ante,

FOLLOW US ON